Famup recebe imagem de Nossa Senhora Aparecida das artesãs do projeto Castelo de Bonecas

Por Múltipla - em 34

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), por meio do presidente George Coelho, recebeu uma homenagem, a imagem de Nossa Senhora Aparecida, nesta terça-feira (22), das artesãs do projeto Castelo de Bonecas, um trabalho artesanal de produção de bonecas, desenvolvido na Penitenciária Júlia Maranhão, em João Pessoa, com apoio do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) e do Governo da Paraíba. A homenagem foi em reconhecimento da parceria e por propagar o trabalho realizado pelas artesãs reeducandas.

“Fiquei muito feliz e emocionado ao receber essa linda homenagem, a imagem de Nossa Senhora Aparecida, feita pelas reeducandas do projeto Castelo de Bonecas. Esse é um projeto lindo e importante para ressocialização dessas mulheres que poderão voltar à sociedade com uma profissão, com uma possibilidade de renda. Sempre disponibilizamos as bonecas produzidas no projeto nos nossos eventos, como uma lembrança do nosso estado. Por isso, as artesãs e a coordenação do projeto entenderam que a Famup se tornou um dos maiores parceiros do projeto e referência na propagação do trabalho realizado”, destacou George Coelho.

O presidente da Famup parabenizou o secretário de Administração Penitenciária, João Alves, bem como Cinthya Almeida, diretora do presídio Júlia Maranhão, além da policial penal que assiste o projeto, Katyússia Andrade, por manterem o trabalho que tem feito a diferença na vida de muitas mulheres. George também agradeceu as 12 reeducandas que fazem parte do projeto: Maria Celeste de Medeiros Nascimento, Jardelma Borges da Silva, Vânia Maria da Silva, Dayanne Dayssy da Silva Rocha, Danielle Pereira da Silva, Armanda Kelly Olinto Oliveira, Marina Oliveira de Vasconcelos, Priscila Graciliano de Lima, Isabella Cristina Rocha, Janaína Freire de Moura, Maria de Lourdes dos Santos e Adriana de Oliveira.

O projeto teve início em 2012 e as reeducandas atua em um ateliê montado no próprio presídio para a confecção de bonecas, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h. Atualmente, dez apenadas integram o projeto de ressocialização da unidade prisional, que já qualificou pelo menos 60 mulheres desde que foi implantado.

As bonecas são feitas de tecido, a exemplo de malha de algodão, e, para qualificar as reeducandas, voluntários promovem workshops de artesanato. Para o projeto continuar existindo, as apenadas mais antigas que integram a iniciativa repassam os conhecimentos adquiridos às mais novas. O trabalho com as bonecas dá dignidade, amplia as perspectivas de vida e gera renda para as mulheres refazerem a vida.