Famup participa de evento para aumentar cobertura vacinal na Paraíba; índice apresentou queda em todo País

Por Múltipla - em 54

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) participou, nesta sexta-feira (22), do evento Vacina Mais Paraíba, com o intuito de aumentar as coberturas vacinais no estado. O Brasil vem registrando uma queda na cobertura vacinal nos últimos 10 anos e o Estado, vem desenvolvendo ações para estancar esse movimento.

O objetivo é unir forças para chamar a atenção para a importância da vacinação em dia para todas as idades no estado é uma parceria entre SES, o Conselho Estadual de Saúde (CES), o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems – PB) e conta com o apoio da Famup.

“É importante buscar apoios, sobretudo da sociedade, para elevar os níveis de coberturas vacinais em toda a Paraíba. Sabemos que é necessária uma colaboração coletiva de entidades públicas e privadas para que a população se sinta segura para receber os imunizantes e atualizar os cartões de vacinação de crianças e adultos. Por isso, nos colocamos a disposição para unir forças junto aos municípios e garantir o aumento da vacinação, mantendo a saúde dos paraibanos”, destacou o presidente da Famup, George Coelho.

A campanha Vacina Mais Paraíba visa atualizar as cadernetas de vacina da população e melhorar os índices de vacinação, que apresentaram queda nos últimos anos. De acordo com a secretária de Saúde do Estado, Renata Nóbrega, este é um momento para que diversas entidades possam se juntar na missão de proteger a população por meio das vacinas.

O evento abre a temporada de Dias D de Vacinação, que serão realizados pela SES nos últimos sábados de cada mês até setembro, em toda a Paraíba. Durante as mobilizações será realizada não apenas a vacinação contra a Covid-19, mas também para outros agravos previstos no calendário de vacinação. O Programa Nacional de Imunização (PNI) oferta vacinas para mais de 30 doenças, com 300 milhões de doses e o calendário de vacinação contempla 48 imunobiológicos, entre vacinas, imunoglobulinas e soros.

Mais dados – A cobertura vacinal no Brasil vem caindo nos últimos 10 anos, deixando a população mais vulnerável a doenças que já estavam erradicadas no país, como sarampo e poliomielite, e que podem deixar sequelas ou causar mortes. Embora o índice de vacinação ideal seja acima de 90%, as taxas gerais de imunização têm ficado abaixo desse valor desde 2012, chegando a 50,4% em 2016. No último ano, a porcentagem foi de 60,7%, segundo informações do Ministério da Saúde.